Segue-se da análise da modernidade socio-política enquanto uma catraca degenerativa que a identificação da deterioração não equivale, em si, a um programa para sua reversão. A vividez deste problema é diretamente proporcional à seriedade com a qual a natureza do tempo, enquanto consideração prática, é abordada. A diferença essencial entre reação e neorreação é adequadamente articulada tão logo esse ponto seja feito.

A ‘orientação ao passado’ é um valor impressivamente defensável (mesmo pelos critérios tecno-comerciais). A ação retro-direcionada, em contraste, é puro erro. Esta é uma ideia óbvia demais para se trabalhar sobre ela. Aqueles que não a entendem escolheram não o fazer.

Ao contrário de muitas controvérsias não resolvidas da neorreação, a tentação de simplesmente retornar, não importa o quão bem intencionada, não merece mais do que condescendência. Neste caso – como em tantos outros – uma imagem vale mais do que mil palavras:

spain-botched-christ1

(clique para ampliar)

Original.
Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s