Cada vez mais, há apenas dois tipos humanos básicos que populam este planeta. Há nerds autistas, que sozinhos são capazes de participar efetivamente nos processos tecnológicos avançados que caracterizam a economia emergente, e há todas as outras pessoas. Para todas as outras pessoas, esta situação é desconfortável. Os nerds estão continuamente encontrando maneiras de fazer todas as coisas que as pessoas ordinárias e sub-ordinárias fazem, de maneira mais eficiente e econômica, programando máquinas. Apenas os nerds têm qualquer entendimento de como isto funciona e, – até que inteligências de máquina generalizadas cheguem para lhes fazerem companhia – apenas eles saberão. As massas sabem apenas três coisas:
(a) Elas querem as coisas legais que os nerds estão criando
(b) Elas não têm nada de muito para oferecer em troca
(c) Elas não estão nem remotamente felizes sobre isso.

A política por todo o espectro está sendo rasgada pela fissão socioeconômica. De Neo-Marxistas a Neorreacionários, há uma compreensão razoavelmente lúcida de que a competência nerd é o único recurso econômico que ainda importa muito, ao passo que o túrgido agravo da preponderante humanidade que fica obsoleta é um irresistível imã de adulação. O que fazer? Conquistar os nerds e governar o mundo (a partir do back-end maquínico)? Ou fazer demagogia com as massas e cavalgar seu tsunami de ressentimento até o poder político? Ou defender os nerds contra as massas, ou ajudar as massas a colocar os nerds em seu lugar. Este é o dilema. O palavrório vazio sobre ‘terceira via’ pode ser esperado, como sempre, mas a agenda real será Booleana e insultantemente fácil de decodificar.

Olhe e é inequívoco, em todo lugar. A assimetria é especialmente notável.

Para os nerds autistas, as relações sociais que importam são aqueles entre si mesmos – as redes produtivas que são seu modelo para a fase final da cultura humana em geral – junto com as conexões cada vez mais intricadas em que eles entram com as máquinas tecnológicas. De basicamente todas as outras pessoas – sejam garotas psico-sadistas, ou turbas extrativas e políticos tiranos – eles não esperam nada, exceto tortura social, parasitismo e bullying, misturados com alguns serviços subalternos que as máquinas de amanhã farão melhor. Sua tendência é encontrar uma maneira de escapar.

Para o resto da humanidade, exposta cada vez mais claramente como um tipo de detrito carente, bullying é tudo que resta. Se não conseguirem encontrar uma maneira de embolsar o dinheiro do almoço dos nerds, não vão conseguir nada para comer. Desta perspectiva, um nerd que escapa é bem mais uma agressão intolerável do que a bota de um policial nos dentes. Há apenas uma política popular no fim da estrada, e esta é enjaular os nerds. Encontre uma formulação para isto que soe tanto convincente quanto meio-quase razoável, e o tapete vermelho para o poder é estendido aos seus pés.

Qual vai ser? Matar de fome as massas ou escravizar os nerds? Não tem jeito disto não ficar incrivelmente feio.

Da perspectiva deste blog, a via expressa para o realismo sobre tudo isso é parar de fingir que alguém além dos nerds tem qualquer coisa de muito para oferecer ao futuro. (Completamente desprovidos de competências autistas nerds nós mesmo, o desapego do qual falamos é impecável.) Este duro atalho realista eliminar todo o desperdício de tempo em coisas ‘especiais’ que não-nerds podem fazer – que, de alguma forma, sempre acabam estando intimamente relacionadas à tarefa da governança (e isso, como vimos, se reduz, em última análise, a intimidar os nerds). “OK, você não é um nerd, mas você é especial.” Todos já ouvimos isto antes.

Mesmo sem ser um nerd autista, pode-se ser dotado de alguma medida modesta de inteligência – o suficiente, em todo caso, para perceber: “A história está se moldando em uma narrativa torturante de vingança dos nerds.” Não é necessário nem uma superinteligência artificial para entender por quer isso deveria ser assim.

Original.
Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s