Turbulência é dinamismo não-linear, então comentar sobre ela se torna muito rapidamente algo reflexivo. Em qualquer conflito, um meta-conflito emergente divide aqueles que abraçam e os que rejeitam o conflito como tal, e ‘meta’ é, na realidade, reflexividade, parcialmente apreendida. Então, ignore os lados da guerra, momentaneamente. E quanto à guerra?

Moldbug realmente não gosta dela. O mais próximo que ele jamais chega de um axioma totalmente arbitrário – comparável, pelo menos superficialmente, ao Princípio de Não-Agressão libertário – é exibido neste contexto. Após algumas observações preliminares, sua primeira exposição da ideologia formalista começa com: “A ideia básica do formalismo é apenas que o principal problema nos assuntos humanos é a violência”. Assim como com Hobbes, o horror à guerra é a fundação da filosofia política.

Essa não é, de maneira alguma, uma decisão trivial. Com a evitação da guerra identificada como o princípio fundamental da ordem política, um critério absoluto de valor (secular) é erigido, em simultaneidade com um framework de explicação genética e estrutural. O bom governo é definido como um processo efetivo de pacificação, que atinge níveis (e estágios) cada vez mais altamente tranquilizantes de ordem:

…há quatro níveis de segurança soberana. Estes são paz, ordem, lei e liberdade. Uma vez que você tem cada um deles, você pode trabalhar no próximo. Mas não faz nenhum sentido falar de ordem sem paz, lei sem ordem ou liberdade sem lei.

A paz é simplesmente a ausência de guerra. A primeira meta d’O Ditador é alcançar a paz, preferivelmente de maneira honrosa e com vitória. Não se pode dizer em que guerras a Nova Califórnia estará envolvida no momento de seu nascimento, então eu me recuso a discutir o assunto mais a fundo. Mas, na guerra, claro, não há ordem; a guerra é puro caos. Assim vemos nossa primeira regra de hierarquia.

Neste modelo, ordem e caos são estritamente recíprocos. Supressão do caos e estabelecimento da ordem são formulações alternativas e intercambiáveis da mesma realidade política básica. Não há qualquer produtividade apropriada ao governo além da ‘boa guerra’ dirigida contra a corrente-Cthulhu de caos, violência, conflito, tumulto e anarquia inarticulada.

Não é nenhuma surpresa, então, que uma decepção generalizada resulte de focos de conflito em todos os tratos digitais da neoreação. Como qualquer simpatizador de Moldbug – ou outro observador orientado à direita – poderia não reconhecer, nestas escaramuças, os sinais da perturbação anarco-caótica, como se os tentáculos doentios de Cthulhu se insinuassem abominavelmente para dentro do refúgio da sociabilidade bem-ordenada? Para além dos próprios protagonistas, tais fagulhas desencadeiam um clamor quase universal em favor de paz imediata e incondicional: Esqueça quem está certo e quem está errado, o conflito em si é errado.

Eu não acho.

A entropia é tóxica, mas a produção de entropia é quase sinônimo de inteligência. Uma ordem dinamicamente inovadora, de qualquer tipo, não suprime a produção de entropia – ela instancia um mecanismo eficiente para a dissipação de entropia. Qualquer sistema semi-Darwinista – isto é, qualquer máquina que realmente funcione – é nutrido por caos, exatamente na medida em que é capaz de se livrar de experimentos falhos. A crítica tecno-comercial da modernidade democratizada não é que caos demais é tolerado, mas que não é possível se livrar do suficiente. O problema com o mau governo, ou seja, com mecanismos defeituosos de seleção, é uma incapacidade de seguir Cthulhu longe o suficiente. É da turbulência que todas as coisas vêm.

A questão que eu colocaria para a NRx não é ‘como podemos suprimir o caos?’, mas sim ‘como podemos aprender a tolerar o caos em uma intensidade bem mais alta?’. Não se constrói ordem dinâmica deliberadamente, sobre uma fundação de fraternidade amigável. Ela emerge espontaneamente como consequência de funções efetivas de dissipação de entropia. A exigência primária é separação.

Separar-nos demanda uma contracorrente crônica de guerra e caos. Inicialmente, isto será fornecido pelas suaves e periféricas lutas com sombras que já vimos, mas eventualmente a NRx será forte o suficiente para prosperar em cataclismas – ou morrerá. O maquinário severo de Gnon vence de qualquer jeito.

Ph’nglui mglw’nafh Cthulhu R’lyeh wgah’nagl fhtagn.

Original.
Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s